Cadê o emprego que tava aqui?

Ingressei na faculdade aos 20 anos, em 2010. Estava na dúvida entre Direto, Arquitetura e Publicidade, mas usei como fator decisório aquela que “me” permitia financeiramente custear. E claro, a grade foi um atrativo a parte! E fui me apaixonando cada vez mais, a cada novo semestre. Aos poucos, quanto mais vamos aprendendo, mais nós vamos criando amor ao nosso trabalho, defendendo a categoria e investindo.

Mas ai vem a decepção: a formatura. E você me pergunta: por que decepção? PORQUE NÃO EXISTE EMPREGO. Estou ciente que estamos atravessando uma crise em nosso país, muitas empresas estão praticando demissões em massa. Mas infelizmente, a onda de falta de emprego na área, vai além da crise e se tornou uma forma de adquirir mão de obra barata. Eu, particularmente, atribuo essas questões a falta de um conselho que defenda os profissionais da área e uma lei que regule as contratações de estagiários.

procucando-emprego

O caminho para conseguir uma entrevista é penoso, isso quando não passamos dias sem conseguir nem enviar um cv+portifólio. Fora os requisitos necessários (favor não enviar o seu currículo caso não esteja de acordo com a vaga): muitos anos de experiência, habilidade em vários programas (mesmo que não caiba ao seu tipo de trabalho e formação), trocentos idiomas fluentes, especialização/ MBA/ PHD serão um diferencial (isso quer dizer: tenha, por favor). Salário: R$ 1000,00 + vale transporte modal – que se dane que você mora longe! Ah sim, vamos incluir que você será um auxiliar/ assistente talvez um analista – com sorte -, mas trabalhará como profissional de jornalismo, publicidade, relações públicas, marketing e até rotinas administrativas! Olha lá…

Nos grupos de vagas que eu faço parte, são “oportunidades” neste estilo que eu vejo sendo compartilhadas, com muito descontentamento pelos participantes do tal grupo. As vezes, antes de compartilhar a vaga, rola até um desabafo no estilo “vergonha’/ “tem gente que aceita”. E taí mais uma dificuldade em sermos respeitados. A galera, que por suas razões pessoais, aceitam esse tipo de situação, e com isso, as empresas vão aproveitando. Afinal, sempre vai ter um para dizer sim.

Atualmente, não bastando a escassez de vagas, estamos nos tornando concorrentes dos estagiários. Através de vagas direcionadas a uma formação, com um bom salário + benefícios. Quando não, transformam a vaga que era para ser um profissional, em estágio, porque se torna mais barato garantir a mão de obra por muito menos da metade do valor.

E até quando vamos continuar vendo esse tipo de situação? Quando que o nosso conselho, sindicato irão arregaçar as mangas e lutar para que tenhamos os nossos direitos respeitados?

Obs.: vale ressaltar que, muitas vagas de estágio estão se tornando abusivas. Exigindo experiências do aluno, e tratando-o como se fossem profissionais, inserindo discretamente responsabilidades que não cabem ao tipo de cargo ocupado pelo mesmo. Sem contar na bolsa, que em muitos casos, a galera se arrisca para que não passe pela faculdade sem ao menos ter estagiado em uma empresa se quer.

Recado final: Você investiu em você, quer fazer o que ama, não permita que as empresas te desvalorizem como profissional. Pense nisso 😉

Anúncios

._.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s